Dilma Rousseff – Biografia completa, história de vida pessoal e política

Colecionadora de muitos fãs e também de muitos inimigos, a ex-presidente do Brasil, Dilma Vana Rousseff, ou simplesmente Dilma Rousseff ocupou importante papel na história do Brasil ao ser a primeira presidente mulher no país com um mandato conturbado e interrompido por um processo de impeachment e muitas controvérsias.

Além de assumir a faixa verde e amarela presidencial, Dilma Rousseff também traz em sua história de vida uma série de acontecimentos políticos e pessoais que a tornam um ícone. Conheça aqui a biografia completa da vida de Dilma.

Biografia completa de Dilma Rousseff

Fruto do amor entre um advogado imigrante búlgaro e uma professora, Dilma nasceu na capital mineira, Belo Horizonte, no dia 14 de dezembro de 1947, e foi criada em um ambiente típico da classe média.

Ao lado de seus outros dois irmãos, a ex-presidente do Brasil ocupou uma cadeira de sala de aula pela primeira vez no chamado Colégio Nossa Senhora do Sion e foi lá que completou a educação básica.

Com o passar dos anos e já mostrando interesse nas questões e lutas socialistas, a jovem adolescente decidiu completar as fases do ensino médio em um outro colégio, o conhecido Colégio Estadual Central de Minas Gerais.

Dilma Rouseff criança

Presa política na Ditadura

Ainda no auge do extinto regime militar que assolou o país entre os anos de 1964 e 1985, Dilma teve participação ativa nos combates armados e de revolucionários, como o Comando de Liberação Nacional (Colina) e o o VAR-Palmares-Vanguarda Armada Revolucionária Palmares.

Em uma das ações conhecida por Operação Bandeirante (Oban) e pelo DOPS-Departamento de Ordem Política e Social chegou a ser presa Como presa, sofreu diversas torturas antes de ser liberada, ainda no final da ditadura.

Dilma presa política

Início da carreira política

Após ser liberada da prisão no início da redemocratização do país, a jovem manifestante interessou pela grade curricular do curso de Economia e  entrou para o curso na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Ainda no final dos estudos, engravidou de sua primeira filha, Paula Rousseff (fruto do seu romance com o ex-guerrilheiro e ex-deputado gaúcho Carlos Franklin Paixão de Araújo). Na mesma época conheceu pessoas influentes, responsáveis também pelos próximos passos escritos em sua biografia pessoal e política.

Com a faculdade concluída entrou para a vida política no Rio Grande do Sul atuando pelo PDT-Partido Trabalhista do Brasil. A partir daí, recebeu cargos cada vez maiores. Primeiro, foi de Secretária da Fazenda do Governo Municipal de Porto Alegre, em 1985. Depois, em 1993 tornou-se secretária de Energia, Minas e Comunicações do Rio Grande do Sul, no governo de Alceu Colares. Pouco tempo depois, em 1990, foi presidente da Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul.

Como último cargo político antes de assumir a presidência foi Secretária de Minas e Energia de 1999  a 2002, mesmo período no qual filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT), enquanto Lula já era presidente. Sua aproximação foi eminente nos primeiros anos de mandato.

Com uma atividade considerada positiva para muitos, mas criticada por outros tantos, Dilma continuou a frente de sua função até o ano de 2005, quando os escândalos relacionados ao “mensalão” foram publicados e ela teve que, inevitavelmente, assumir o cargo de ministra da casa, que era, até então, de José de Dirceu, que teve que renunciar.

Dilma presidente

Foi então que um cenário propício para sua candidatura e vitória da presidência foi construído e no mês de janeiro do ano de 2011, Dilma foi oficialmente nomeada a primeira presidente mulher do país e se reelegeu na eleição seguinte, no ano de 2014, com  54 milhões de votos (equivalente a 51,64% dos votos válidos).

Durante seu primeiro e segundo mandato, em bora que interrompido, deixou alguns legados. Entre eles, a diminuição da taxa de analfabetismo que ficou em 8,7% em 2012 – um dos menores índices da história do Brasil. Além disso, também aumentou o número de jovens nas universidades – sobretudo os negros e de baixa renda – por meio de programas como o Prouni, e Pronatec.

Foi na economia, entretanto, que com a recessão econômica agravou a situação e levou em discussão as pedaladas fiscais como pauta para o seu possível impeachment. Afinal, numa situação de descontentamento geral da população e um índice de reprovação de 70% os congressistas se uniram para avaliar se o ato da pedalada fiscal justificaria um impechment.

Dilma Rouseff presidente do Brasil

Impeachment

O segundo mandato não pode ser concluído. Dilma foi acusada de probidade administrativa e o processo de impeachment foi assinado e autorizado pelos responsáveis e Michel Temer assumiu o seu lugar no ano de 2016.

Controvérsias tomaram conta da situação. Afinal, em meio a Operação Lava Jato muitas histórias vieram à tona junto com o processo de impeachment – como a prisão do ex-presidente Lula e uma série de outras personalidades políticas dentro do Congresso e líderes de empresas (sobretudo empreiteiras).

Impeachment Dilma Rousseff

Vida de Dilma atualmente

Longe da rotina política, Dilma reside agora na cidade de Porto Alegre, leva uma vida reservada, distante de muitos flashes, polêmicas e conta com uma aposentadoria de cerca de R$5 mil mensais, pois sua cassação eliminou o seu direito de receber o valor total oferecido aos parlamentares afastados.

Considerada umas das mais importantes e fortes figuras do Partido do Trabalhador (PT), Dilma segue citada sempre quando o assunto é a história e a política do país e, claro, é também referência para muitas mulheres, que sonham em um dia traçarem uma vida política semelhante à da ex-presidente.

Deixe seu Comentário

WebGo Content