• Cazuza – Biografia Resumida, Características, Principais Fatos e História

    Em 2020 se completam 30 anos da morte de um dos maiores poetas da música brasileira. Cazuza se foi, mas deixou seu nome guardado para sempre na cultura popular do nosso país. Seja no comando do “Barão Vermelho” ou em sua carreira solo, o cantor e compositor tem alguns de seus clássicos em alta até hoje.

    Por isso vamos conhecer um pouco mais sobre a história dessa verdadeira lenda do rock nacional, autor de marcantes versos revolucionários e belas mensagens de amor.

    Cazuza biografia

    Biografia

    Agenor de Miranda Araújo Neto nasceu no Rio de Janeiro, em 04 de abril de 1958. Cazuza era filho de João Araújo, conhecido empresário e produtor musical, e da cantora Lucinha Araújo. Sendo assim, cresceu no meio artístico e conviveu desde cedo com grades nomes da MPB, como Caetano Veloso, Elis Regina e Gilberto Gil.

    E foi um de seus maiores ídolos na música, inclusive, que fez com que ele aceitasse seu nome de batismo. Afinal, Cazuza odiava o nome “Agenor” até o descobrir que este também era o nome do Cartola.

    Da música brasileira vieram suas primeiras referências. Além de Cartola, nomes como Dolores Duran, Noel Rosa, Maysa e Rita Lee estavam entre os favoritos em sua juventude. Por crescer em um ambiente tão musical, começou a escrever seus primeiros poemas já na infância, enquanto estudava em colégios tradicionais do Rio como o Santo Inácio de Loyola e o Anglo-Americano.

    Os primeiros contatos com o rock aconteceram em uma viagem para Londres em 1972. Lá Cazuza conheceu e logo se tornou fã de bandas como Led Zeppelin, Janis Joplin e Rolling Stones. Quatro anos mais tarde, em 76, foi aprovado no curso de Comunicação, mas desistiu três semanas depois.

    E então veio uma das principais marcas da vida de Cazuza: a boemia. No Baixo Leblon, o artista iniciou sua vida boêmia, bebendo, fumando e mantendo relações sexuais com homens e mulheres.

    Para tentar conter a rebeldia do filho, João Araújo conseguiu para Cazuza um emprego na sua gravadora, a Som Livre. Anos depois, ao retornar de uma viagem aos Estados Unidos, ele entrou para o grupo teatral Asdrúbal Trouxe o Trombone.

    Nesse período, Cazuza teve a oportunidade de cantar em público pela primeira vez, e aí se deu início a uma das carreiras mais bem sucedidas da música brasileira.

    O início da carreira com o Barão Vermelho

    No início dos anos 1980, Léo Jaime recusou o convite para ser vocalista de uma banda em processo de formação. Para seu lugar ele indicou Cazuza, e dos ensaios na casa do tecladista Maurício Barros nasceu o Barão Vermelho.

    O vocal berrado de Cazuza foi muito bem vindo na banda de Roberto Frejat (guitarra), Dé Palmeira (baixo), Maurício Barros (teclado) e Guto Goffi (bateria). Quando o cantor mostrou que também escrevia, nasceu entre ele e Frejat uma das dobradinhas de compositores mais consagradas do rock nacional.

    O primeiro disco da banda foi lançado em 1982, e chamava-se “Barão Vermelho”. O álbum foi bem recebido pela crítica, mas não vendeu muitas cópias. Entretanto, se a banda era ignorada pelas rádios, recebeu alguns apoios de peso para deslanchar.

    No Canecão, Caetano Veloso cantou “Todo amor que houver nessa vida” e apontou Cazuza como o maior poeta da geração. Pouco depois, Ney Matogrosso – com quem Cazuza viveu um affair e foi amigo até o fim da vida – gravou “Pro dia nascer feliz” e projetou o Barão Vermelho no cenário nacional.

    Durante os anos seguintes, a banda lançou diversos clássicos, vendeu milhares de discos, e ao lado de Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e dos Titãs é tida como uma das quatro bandas brasileiras mais influentes da década de 1980.

    A música Bete Balanço impulsionou a bilheteria do filme de mesmo nome, e as vendas do disco “Maior Abandonado” (1984). Na famosa primeira edição do Rock in Rio de 1985, a banda fez uma de suas performances mais consagradas. Cazuza anunciou ao público o fim da ditadura militar, e comemorou cantando “Pro Dia Nascer Feliz”.

    Entretanto, meses depois a banda sofria um duro golpe: Cazuza anunciava a sua saída para seguir carreira solo.

    Carreira solo

    Sem o Barão Vermelho, Cazuza lança mais alguns clássicos da década de 80. “Exagerado”, a faixa-título de seu primeiro álbum, de 1985, se torna uma marca registrada do cantor. O segundo disco é lançado em 1987 e traz músicas românticas como a faixa-título “Só Se For A Dois”, “O Nosso Amor A Gente Inventa” e “Solidão Que Nada”.

    Mas neste mesmo ano vem a pior notícia que o cantor poderia receber. Cazuza é internado com pneumonia, e um teste de sangue revela que ele era portador do vírus HIV. Ele viaja para se tratar nos Estados Unidos, e quando logo que volta ao Brasil começa a gravação do seu próximo disco.

    Ideologia” é lançado em 1988, e inclui hits como “Brasil” e “Faz Parte Do Meu Show” e a própria faixa-título. O álbum seguinte, “O tempo não para”, foi gravado ao vivo no Canecão durante a turnê de “Ideologia” e lançado em 1989. Esse é o disco de o maior sucesso comercial da carreira de Cazuza, vendendo mais de 500 mil cópias.

    Também foi em 1989 que Cazuza anunciou publicamente que era soropositivo. Na cerimônia do Prêmio Sharp deste ano, o cantor comparece numa cadeira de rodas para receber os prêmios de melhor canção para “Brasil” e de melhor álbum para Ideologia.

    O caso de Cazuza ajudou a criar no Brasil consciência em relação à AIDS e seus efeitos.

    Neste mesmo ano ele grava “Burguesia”, seu último álbum, gravado com o cantor numa cadeira de rodas e com a voz nitidamente enfraquecida. Pela música “Cobaias de Deus”, Cazuza recebeu o Prêmio Sharp póstumo de melhor canção.

    Morte e legado

    Rio de Janeiro, 07 de julho de 1990: após anos de luta, Cazuza morre aos 32 anos por um choque séptico em decorrência da AIDS. Foram oito anos de uma carreira meteórica que deu ao cantor o legado de um dos maiores nomes da MPB.

    Em seu enterro compareceram mais de mil pessoas, entre familiares, amigos e fãs. E foram os ex-colegas de Barão Vermelho quem carregaram seu caixão até à sepultura. Cazuza está enterrado no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

    No túmulo do poeta, o título da obra “O Tempo Não Para” acompanha seu nome e codinome. E “Cazuza – O Tempo Não Pára”, inclusive, é o título de sua cinebiografia lançada em 2004.

    No mesmo ano de sua morte, os pais do cantor fundaram a Sociedade Viva Cazuza. A organização tem o objetivo de proporcionar condições de vida melhores para crianças soropositivas através de assistência à saúde, educação e lazer.

    A obra do artista segue viva mesmo após 30 anos de sua morte. Cazuza deixou 126 canções gravadas, 78 inéditas e 34 gravadas por outros músicos. Suas músicas já foram reinterpretadas por diversos artistas brasileiros de vários gêneros musicais.

    Em 2008 a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, e Cazuza ficou na 34ª posição.

     

    Gostou do texto? Você também é fã de Cazuza? Conhecia a história dele? Fala pra gente nos comentários sua opinião e sua música favorita do “poeta do rock”.

  • Fiuk – Biografia Resumida, Características, Principais Fatos e História

    Conhecido como um dos homens mais bonitos brasileiros, durante muito tempo considerado um dos solteiros mais cobiçados, Fiuk é lembrado por suas aparições em telenovelas da Rede Globo, além de várias músicas de sucesso. Hoje você saberá informações completas sobre esse artista, mais de sua história, tudo que passou, sua obra e sua importância na […]

    VEJA +
  • René Descartes – Quem foi? História resumida e Obras

    Francês nascido no ano de 1596, René Descartes foi um dos dos filósofos e matemáticos mais importantes que já existiu para toda a ciência moderna e pensamento científico e filosófico. Viveu durante a Idade Moderna e pertenceu à ordem de pensadores da época que deu início e uma origem fundamentada à era da ciência, sendo […]

    VEJA +
  • Castro Alves – História resumida e Principais Obras

    Poeta brasileiro romântico, Castro Alves foi um dos mais renomados artistas e criadores do século XIX. Suas obras relataram as dificuldades da vida e da sociedade em sua época. Recebeu o título popular de Poeta dos Escravos graças ao teor crítico e expositório de suas obras com relação à realidade da vida no Brasil em […]

    VEJA +
  • Ronaldinho Gaúcho – biografia resumida, características, principais fatos e história

    Ronaldo de Assis Moreira que carrega o pseudônimo de Ronaldinho Gaúcho, nasceu em no dia 21 de março de 1980, na Restinga, bairro periférico de Porto Alegre.  Assim como, Ronaldinho sempre gostou de futebol, na sua infância a brincadeira principal era de jogar bola. Nesse sentido, aos sete anos de idade seu pai o levou […]

    VEJA +
  • Bruce Lee – Biografia Resumida, Características, Principais Fatos

    Antes de tudo, Bruce Lee nasceu nos Estados Unidos, em Chinatwon, São Francisco, na Califórnia, em 17 de novembro de 1940, na hora e no ano do dragão. Desse modo, segundo a astrologia chinesa, significava que ele seria um homem poderoso. Machado de Assis Além disso, ele era filho de integrantes da Ópera Chinesa, e […]

    VEJA +
  • Susana Vieira – Biografia resumida, carreira e vida pessoal

    Sônia Maria Vieira Gonçalves, mais conhecida como Susana Vieira, nasceu em São Paulo no dia 23 de agosto de 1942.  Filha de diplomatas, seu pai era militar da reserva representante na Embaixada do Brasil em Buenos Aires enquanto sua mãe trabalhava no consulado. Além de Suzana, os pais tiveram mais três filhos, dois homens e […]

    VEJA +
  • Max Weber – Vida e obra

    Max Weber foi um sociólogo e economista alemão a favor do capitalismo. Durante sua vida e carreira desenvolveu teorias relevantes para o âmbito da sociologia da religião e ciência política. Para além, deixou obras literárias importantes como “A ética protestante e o espírito do capitalismo” e muitas outras. Com uma vida totalmente dedicada aos estudos […]

    VEJA +
  • José de Alencar – BIografia

    José de Alencar foi uma das figuras mais importantes da literatura brasileira e contribuiu veementemente com obras de romance. Para além, o escritor teve papel relevante na política e atuou como jornalista em importantes veículos de comunicação da época em que viveu. As obras de José de Alencar contribuíram para que ele fosse escolhido como […]

    VEJA +
  • Mauricio de Sousa – Biografia resumida

    Maurício de Sousa (1935-) é um cartunista, empresário e escritor brasileiro. É conhecido especialmente pela criação da popular Turma da Mônica, que conta com alguns dos personagens brasileiros mais conhecidos: Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão. Se você deseja saber um pouco mais a respeito deste grande gênio brasileiro dos quadrinhos, confira a seguir a biografia […]

    VEJA +
WebGo Content